PROJECTOS
 

DESPORTO PARA TODOS

O desenvolvimento do desporto para todos em Angola, que antes se denominava de cultura física, conhece desde da independência, a realização de actividades várias, que permitiram a evolução para outros níveis de pratica que deram lugar a formação de talentos que mantiveram o país nos patamares mais altos, tanto no continente como no mundo, não obstante as condições sócio-políticas e económicas que o país, vivia fruto da guerra.

Com a conquista da paz, a 4 de Abril de 2002, que melhorou o quadro desolador vivido até então, criaram-se as premissas capazes de proporcionar iniciativas e politicas relevantes para organizar e promover a pratica do “desportos para todos”; Nesta perspectiva, o Governo Angolano através do seu Ministério da Juventude e Desportos, fez o lançamento da actividade desportiva generalizada, com a nova terminologia, Desporto para Todos, tendo realizado para a sua expansão, condições ideais, nomeadamente de recursos humanos, com a realização da 1ª fase de uma acção de formação de 60 monitores voluntários, para trabalharem em diversas zonas urbanas e peri-urbanas e a disponibilização de equipamento necessário para a implementação pratica do programa.

Como parte da cultura social do homem em geral, e do angolano em particular, o desporto está presente no quotidiano da população angolana, graças ao vasto trabalho de generalização de sua pratica que se leva a cabo no seio de todos que se associem a causa, levando-os a reconhecerem os seus múltiplos benefícios, nomeadamente, a redução da mortalidade prematura por doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, stress, ansiedade e a depressão. Assim como prevenir e reduzir a hipertensão, o controlo do peso corporal e controlar a osteoporoses.

Para comprovar a grande aderência da população ao Programa “Desportos para Todos, no dia 9 de Junho de 2002, data de seu lançamento, decorrido na cidade de Luanda, concentrou-se no local mais de três mil (3.000), pessoas de todas faixas etárias, género, cor e etnia.

Acções Desenvolvidas

Na perspectiva de criação de uma base de sustentação da base da pirâmide do desenvolvimento do desporto em Angola, desde da pacificação do país, a 4 anos, desenvolveram diversas acções com a finalidade de atingir os objectivos preconizados pelo Governo.

Neste quadro, realizaram-se várias actividades nos diversos segmentos do desporto, nomeadamente

  1. Escola de Iniciação Desportivas Especializadas

Nestas faixas, o Governo tem prestado o apoio possível, tendo em vista o facto de ser a etapa onde as crianças adquirem os hábitos de cultura desportiva. Face aos tais incentivos, o País conhece hoje um crescente número de escolas de formação nas categorias infanto-juvenil, nas diversas modalidades desportivas, adscritos aos Grupos Desportivos e Recreativos. O maior realce aqui recai para as escolas de futebol, basquetebol e andebol que movimentam mais de seis mil (6.000) crianças e jovens por ano, dos quais despontam muitos talentos que têm servido de suporte do desporto de alto rendimento nacional.

  1. Desporto Universitário  

A par do desporto escolar, o Governo incentivou a reorganização e apoia o Desporto Universitário, tendo como resultado na realização de Campeonatos inter-faculdades nas modalidades de futebol e Basquetebol. Os níveis de organização alcançados hoje permitiram a conquista, durante o presente ano, do Campeonato Africano da categoria e a presença nos jogos Mundiais Universitários, que decorreram na República Socialista da China.

  1. Desporto para Portadores de deficiência

Para além das deficiências congénitas, a guerra que assolou o Pais deixou um elevado número de pessoas com deficiência física e mentais, para os quais o Governo Angolano concebeu programas de inserção social onde se destaca a pratica dos desportos, tem do em conta o seu papel de desenvolvimento do auto estima.

Neste contexto, para atingir os objectivos almejados o Governo Angolano com colaboração de algumas ONG´S incentivaram e promoveram a criação de núcleos ou associações para a prática do desporto para portadores de deficiência. Este trabalho, culminou com a criação, em primeira instância da Federação dos Desportos para Portadores de Deficiências, que futuramente transformou-se Comité Paralimpico Angolano devido ao vasto número de modalidade que integra. Este organismo é um nacional de parceira do Governo Angolano, na materialização de programas para esta camada da sociedade, que neste preciso momento conta com 315 (Trezentos e quinze) atletas filiados.

Em sequência aos níveis de organização atingidos por este Comité, ele efectua anualmente campeonatos nacionais de atletismo (pista e corta-mato), basquetebol de cadeira de roda, futebol de muletas. Graças ao relevante trabalho levado a cabo, Angola conseguiu as primeiras medalhas de ouro Paralímpica, em Atenas, através do atleta do atletismo que foi campeão olímpico dos 200m e 400m José Armando Sayovo., deficiente visual.

  1. Desporto Comunitário

Os níveis de evasão escolar e os índices de violência entre os adolescentes e jovens, preocupam o Governo, levando-o a definir medidas e estratégias que permitam a inserção social, onde o desporto que propicia o desenvolvimento da sociabilidade e valores ocupa igualmente um lugar de destaque, tendo em vista a recuperação desse indivíduos em situação de risco social. (drogas, delinquência juvenil, etc.)

Para garantir a sustentabilidade da pratica dos desportos nas comunidades, para além dos recintos desportos existentes, esta em vista a implementação do Programa Despontar o qual prevê a recuperação e construção de quadras de jogos polivalentes e a distribuição de material e equipamento, visando a expansão do desporto no seio das comunidades, na perspectiva do cumprimento dos objectivo acima citados e a detenção de talentos.

Outros Projectos existente para as comunidades:

    1. Inserção Social pela Pratica do desporto

Este projecto circunscreve-se em dois programas: O primeiro é sobre a fábrica de bolas instalada numa unidade prisional onde os reclusos na sua maioria são jovens produzem bolas para as modalidades de andebol, voleibol, basquetebol, futebol salão, futebol e nini-andebol.
 O segundo programa, sustentado pelo anterior, consiste na ocupação do tempo livre das crianças e jovens dos orfanatos, escolas e comunidade carente peri-ubana, que movimenta 5.000 (cinco mil) participantes. 

    1. Gira Bairro ou Taça do Presidente

Tem como objectivo organizar torneios de futebol inter-bairros a nível nacional.

    1.  Movimento Bola ao Ar, ANATENO  e ABRUA

Circunscreve-se na ocupação dos tempos livre dos jovens com a prática do Futebol, andebol e basquetebol.

  1. Desporto para a mulher

O Desporto em Angola privilegiou sempre um espaço para a mulher, praticando a par dos homens todas as modalidades inseridas no programa desportivo nacional. Como prova dessa abertura, possuímos hoje nos clubes várias equipas femininas, das quais têm resultado selecções nacionais com níveis acima da média como por exemplo a de Andebol que é 8 vezes campeã Africana.

  1. Desporto para Idosos

A este nível de participação regista-se um elevado número de aderentes, mormente os antigos praticantes que estão organizados em equipas de diversas modalidades, com destaque para o futebol onde existem competições inter-bairros, denominados “Torneios da Velha Guarda”, que se realizam um pouco por todo país, sobressaindo-se Luanda, com muitos praticantes.

  1. Desporto Federado

Fruto do vasto trabalho desenvolvido na base, em áreas acima referidas, temos o desporto federado devidamente estruturado em 22 Federações Nacionais, 104 Associações e 187 Clubes, que gerem a politica desportiva das modalidades 22 praticadas em todo País.

Nesse leque de modalidades desportivas participam cerca de 23.877 atletas, sendo 7.959 mulheres e 15.918 Homens dos vários escalões etários. Apesar dos resultados alcançados até 2002 serem satisfatórios, desta data em diante melhoramos substancialmente em consequência das condições postas a disposição dos técnicos e atletas. A prova desse sucesso comprova-se com as participações exitosas nos Mundiais de Andebol feminino, Basquetebol Masculino, Hóquei em Patins e Futebol.

Na perspectiva da expansão da prática do desporto federado em toda a extensão do território nacional o futebol que até 2002, exerceu o papel de unidade nacional, continua a ser até hoje a modalidade presente em toda as províncias devido aos campeonatos de Honras (Vulgo Gira Bola) e a segunda Divisão, movimentam o grande número de atletas, mas, para além destes campeonatos, as restantes modalidades também organizam, anualmente as suas competições nacionais, com menos participantes.

  DESTAQUE
 
  BPC financia construção de casas para a juventude
 
  Gonçalves Muandumba e Paixão Júnior
   
 
  MENU
 

EVENTOS
  PROJECTOS
  PROGRAMAS
  PLANOS
  ÁREAS DE ACTUAÇÃO
  NOTÍCIAS
  GALERIA DE IMAGENS
  LINKS
     
   
   
ADICIONAR AOS FAVORITOSDEFINIR COMO PÁGINA INICIAL DO NAVEGADOR